A FRAGILIDADE DE NOSSA CONVICÇÃO NO EVANGELHO.

4 de junho de 2014

Gálatas 1.6.

Admiro-me de que vocês estejam abandonando tão rapidamente aquele que os chamou pela graça de Cristo, para seguirem outro evangelho.

Os crentes na Galáxia eram compostos de judeus e gentios convertidos.

Eles haviam recebido o Evangelho de Cristo que lhes ensinou algumas verdades.

Uma das principais verdades que lhes impactara, tratava da justificação pela fé e não por obras da lei.

Com o decorrer do tempo, alguns irmãos, mesmo depois de terem experimentado a Graça de Deus, passaram a receber um outro evangelho, o qual nada tinha que ver com o que haviam recebido de Paulo.

A mensagem do Cristo ressurreto já não era suficiente, aqueles irmãos voltaram a se submeter aos rudimentos da lei, pretendendo complementar a obra da salvação.

Paulo ficou estarrecido ao saber que aqueles irmãos pelos quais ele lutou para compreenderem e aceitarem o Evangelho de Cristo, estivessem, agora, voltando, tão rapidamente, para um evangelho, isto é, para uma mensagem estranha aquela anteriormente recebida.

 

Fico pensando em como nossa convicção na Graça de Deus pode ser frágil, tão frágil ao ponto de, repentinamente, nos desviarmos.

Muitas vezes não nos desviamos do ponto de vista do deslocamento físico, deixando de ir à igreja para ir para as baladas, mas há um deslocamento da mentalidade, dos sentimentos, das convicções, de modo que tomemos direções totalmente contrárias as que o Evangelho quer nos conduzir.

Como está a nossa convicção? Como estamos firmados no que recebemos do Senhor?

Estamos vivendo numa era de pessoas vazias de Deus, da Palavra, que seguem facilmente qualquer modismo que carregue o nome de Deus, mesmo que o mesmo seja incompatível com as boas novas de Jesus.

Tomem cuidado, ainda há “outros evangelhos” querendo trazer transtorno a nossa fé, por isso, firmemo-nos na Graça de Jesus para que somente Ele seja o nosso justificador.

Pr. Rômulo Salles

Reflexão da leitura bíblica do dia 02/05/2014

Lendo o Novo Testamento