a a a
jeremias51
  • 1Assim diz o SENHOR: Eis que levantarei um vento destruidor contra babilônia, e contra os que habitam no meio dos que se levantam contra mim.
  • 2E enviarei padejadores contra babilônia, que a padejarão, e despejarão a sua terra
  • 3O flecheiro arme o seu arco contra o que arma o seu arco, e contra o que se exalta na sua couraça
  • 4E os mortos cairão na terra dos caldeus, e atravessados nas suas ruas.
  • 5Porque Israel e Judá não foram abandonados do seu Deus, do SENHOR dos Exércitos, ainda que a sua terra esteja cheia de culpas contra o Santo de Israel.
  • 6Fugi do meio de babilônia, e livrai cada um a sua alma, e não vos destruais na sua maldade
  • 7babilônia era um copo de ouro na mão do SENHOR, o qual embriagava a toda a terra
  • 8Num momento caiu babilônia, e ficou arruinada
  • 9Queríamos curar babilônia, porém ela não sarou
  • 10O SENHOR trouxe a nossa justiça à luz
  • 11Aguçai as flechas, preparai os escudos
  • 12Arvorai um estandarte sobre os muros de babilônia, reforçai a guarda, colocai sentinelas, preparai as ciladas
  • 13O tu, que habitas sobre muitas águas, rica de tesouros, é chegado o teu fim, a medida da tua avareza.
  • 14Jurou o SENHOR dos Exércitos por si mesmo, dizendo: Ainda que te enchi de homens, como de lagarta, contudo levantarão gritaria contra ti.
  • 15Ele fez a terra com o seu poder, e ordenou o mundo com a sua sabedoria, e estendeu os céus com o seu entendimento.
  • 16Fazendo ele ouvir a sua voz, grande estrondo de águas há nos céus, e faz subir os vapores desde o fim da terra
  • 17Embrutecido é todo o homem, no seu conhecimento
  • 18Vaidade são, obra de enganos
  • 19Não é semelhante a estes a porção de Jacó
  • 20Tu és meu machado de batalha e minhas armas de guerra, e por meio de ti despedaçarei as nações e por ti destruirei os reis
  • 21E por meio de ti despedaçarei o cavalo e o seu cavaleiro
  • 22E por meio de ti despedaçarei o homem e a mulher, e por meio de ti despedaçarei o velho e o moço, e por meio de ti despedaçarei o jovem e a virgem
  • 23E por meio de ti despedaçarei o pastor e o seu rebanho, e por meio de ti despedaçarei o lavrador e a sua junta de bois, e por meio de ti despedaçarei os capitães e os magistrados.
  • 24E pagarei a babilônia, e a todos os moradores da Caldéia, toda a maldade que fizeram em Sião, aos vossos olhos, diz o SENHOR.
  • 25Eis-me aqui contra ti, ó monte destruidor, diz o SENHOR, que destróis toda a terra
  • 26E não tomarão de ti pedra para esquina, nem pedra para fundamentos, porque te tornarás em assolação perpétua, diz o SENHOR.
  • 27Arvorai um estandarte na terra, tocai a buzina entre as nações, preparai as nações contra ela, convocai contra ela os reinos de Ararate, Mini, e Asquenaz
  • 28Preparai contra ela as nações, os reis da Média, os seus capitães, e todos os seus magistrados, e toda a terra do seu domínio.
  • 29Então tremerá a terra, e doer-se-á, porque cada um dos desígnios do SENHOR está firme contra babilônia, para fazer da terra de babilônia uma desolação, sem habitantes.
  • 30Os poderosos de babilônia cessaram de pelejar, ficaram nas fortalezas, desfaleceu a sua força, tornaram-se como mulheres
  • 31Um correio correrá ao encontro de outro correio, e um mensageiro ao encontro de outro mensageiro, para anunciar ao rei de babilônia que a sua cidade está tomada de todos os lados.
  • 32E os vaus estão ocupados, e os canaviais queimados a fogo
  • 33Porque assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: A filha de babilônia é como uma eira, no tempo da debulha
  • 34Nabucodonosor, rei de babilônia, devorou-me, colocou-me de lado, fez de mim um vaso vazio, como chacal me tragou, encheu o seu ventre das minhas delicadezas
  • 35A violência que se fez a mim e à minha carne venha sobre babilônia, dirá a moradora de Sião
  • 36Portanto, assim diz o SENHOR: Eis que pleitearei a tua causa, e tomarei vingança por ti
  • 37E babilônia se tornará em montões, morada de chacais, espanto e assobio, sem que haja quem nela habite.
  • 38Juntamente rugirão como filhos dos leões
  • 39Estando eles excitados, lhes darei a sua bebida, e os embriagarei, para que andem saltando
  • 40Fá-los-ei descer como cordeiros à matança, como carneiros e bodes.
  • 41Como foi tomada Sesaque, e apanhada de surpresa a glória de toda a terra! Como se tornou babilônia objeto de espanto entre as nações!
  • 42O mar subiu sobre babilônia
  • 43Tornaram-se as suas cidades em desolação, terra seca e deserta, terra em que ninguém habita, nem passa por ela filho de homem.
  • 44E castigarei a Bel em babilônia, e tirarei da sua boca o que tragou, e nunca mais concorrerão a ele as nações
  • 45Saí do meio dela, ó povo meu, e livrai cada um a sua alma do ardor da ira do SENHOR.
  • 46E para que porventura não se enterneça o vosso coração, e não temais pelo rumor que se ouvir na terra
  • 47Portanto, eis que vêm dias, em que farei juízo sobre as imagens de escultura de babilônia, e toda a sua terra será envergonhada, e todos os seus mortos cairão no meio dela.
  • 48E os céus e a terra, com tudo quanto neles há, jubilarão sobre babilônia
  • 49Como babilônia fez cair mortos os de Israel, assim em babilônia cairão os mortos de toda a terra.
  • 50Vós, que escapastes da espada, ide-vos, não pareis
  • 51Direis: Envergonhados estamos, porque ouvimos opróbrio
  • 52Portanto, eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que farei juízo sobre as suas imagens de escultura
  • 53Ainda que babilônia subisse aos céus, e ainda que fortificasse a altura da sua fortaleza, todavia de mim virão destruidores sobre ela, diz o SENHOR.
  • 54De babilônia se ouve clamor de grande destruição da terra dos caldeus
  • 55Porque o SENHOR tem destruído babilônia, e tem feito perecer nela a sua grande voz
  • 56Porque o destruidor vem sobre ela, sobre babilônia, e os seus poderosos serão presos, já estão quebrados os seus arcos
  • 57E embriagarei os seus príncipes, e os seus sábios e os seus capitães, e os seus magistrados, e os seus poderosos
  • 58Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Os largos muros de babilônia serão totalmente derrubados, e as suas altas portas serão abrasadas pelo fogo
  • 59A palavra que Jeremias, o profeta, mandou a Seraías, filho de Nerias, filho de Maaséias, indo ele com Zedequias, rei de Judá, a babilônia, no quarto ano do seu reinado. E Seraías era o camareiro-mor.
  • 60Escreveu, pois, Jeremias num livro todo o mal que havia de vir sobre babilônia, a saber, todas estas palavras que estavam escritas contra babilônia.
  • 61E disse Jeremias a Seraías: Quando chegares a babilônia, verás e lerás todas estas palavras.
  • 62E dirás: SENHOR, tu falaste contra este lugar, que o havias de desarraigar, até não ficar nele morador algum, nem homem nem animal, e que se tornaria em perpétua desolação.
  • 63E será que, acabando tu de ler este livro, atar-lhe-ás uma pedra e lançá-lo-ás no meio do Eufrates.
  • 64E dirás: Assim será afundada babilônia, e não se levantará, por causa do mal que eu hei de trazer sobre ela
Versão: Almeida Corrigida Fiel - Português (1994)